O Calvin Harris parou um pouquinho no tempo…

Olá gente, no post de hoje vamos estar ensinando vocês a fazer uma musica em três versões diferentes…

Tô zoando, gente!
Vamos só bater um papo sobre os mais recentes singles do Calvin Harris. Todo mundo sabe quem é ele, todos já ouviram pelo menos uma música: Feel So Close, Sweet Nothing, Outside e a mais desconhecida de todas We Found Love. Ou seja, sucessos não faltam, e cada uma dessas músicas citadas são diferentes entre si, apesar de contar elementos que nos fazem saber quem produziu. Até aí tudo bem! O “problema” se é que podemos chamar assim está nos recentes singles dele, mais especificamente, em três.


Na minha cabeça imagino esses três singles como se fossem a extensão de uma única musica, só que divida em três versões diferentes. A primeira que tivemos contato foi How Deep Is Your Love, que foi lançada em 2015 e foi um enorme sucesso. Lembro que no começo não tinha me atraído muito pela melodia, porém, logo depois tava lá no “ah ah ah uh”. O refrão dessa música veio com aquela onda do “tom tom tom – tom tom tom” que parece se chamar “deep house”; até aí tudo era muito novo, muito bom.

Aí, quase um ano depois, abril de 2016, ele vem com um novo single em participação com a sua mais fiel parceira Rihanna. E tal qual não é a surpresa quando ouvimos a música e percebemos a forte influência do efeito “deep house”; a música se assemelha de uma forma clara no seu ápice, quando Rihanna evoca uns “uuh uuh uuh uuh”, com uma melodia que lembra – mas não copia – How Deep Is Your Love.

Veja bem, eu não estou querendo acusa-lo de não-criativo, até porque sei muito bem através de estudos (Spotify University) que quando ele quer ele vem com algo diferente, mas fica a impressão daqueles artistas que se preocupam tanto com paradas musicais que começam a repetir fórmulas e ficar batido. Eu realmente não me importo com isso (não vou difama-lo), as músicas são legais, são divertidas e são aquilo que ele propôs a ser, mas eu tenho ouvidos e percebo com obviedade quando um artista começa a ir pelo caminho da saturação. Muitos DJ’s famosíssimos já entraram em ostracismo por não saber/querer sair do confortável.

Pra terminar feliz esse post vamos apenas deixar a terceira parte: com vocês My Way!

Terminando de ouvir isso não te faz pensar o mesmo que eu? E essa daqui lembra ainda Feel So Close… haha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s